Minhas aventuras na terra da rainha! – Parte 1

          Então, como prometi no meu post sobre os estúdios do HarryPotter, vou contar pra vocês como foi a minha viagem pra Londres, mas juro que não vou encher o saco de vocês falando demais (ou pelo menos tentar). Vou tentar fazer um resumo dividido em duas partes, quem quiser saber mais sobre qualquer coisa pode me perguntar no meu twitter ou no twitter do blog, ou aqui mesmo nos comentários que eu respondo com o maior carinho! 🙂 E desculpem a demora pra postar, mas era muita coisa pra contar sobre como foi realizar esse sonho já antigo. Enfim, vamos ao post! 
          Dia 7 de março de 2013. Correria antes de viajar. Terminar os preparativos, levar o Bruce na casa da minha amiga, o Pedro na casa da minha tia, me arrumar e correr pro aeroporto. Tudo isso com um nó no estômago do tamanho do universo que só quem já esteve prestes a realizar um sonho de anos conhece.
          Precisamos de dois carros para levar as malas. Eu e minha mãe íamos juntas com uma amiga da família, meu pai estava na Irlanda e ia encontrar com a gente em Londres no dia seguinte. No aeroporto correu tudo tranquilo. Lanchamos na sala da British Airways enquanto esperávamos a hora de decolar. Uma coisa que vocês ainda não sabem sobre mim é que eu amo voar. Amo. Acho que eu, do auge da minha ignorância sobre o assunto, fico meio fascinada com o fato de que o homem conseguiu construir uma máquina que desafiasse a lei da gravidade por tanto tempo. Mas, enfim, decolamos.
          Eu sempre tive esse sonho bobo de voar pela British, e devo dizer que a companhia não me decepcionou em nada. Comida boa, comissários educados, vôo tranquilo… Eu nem senti quando pousou. Sério. Já estava ficando impaciente, pensando “mas esse piloto não vai pousar não? Então porque anunciou o pouso?” e do nada todos começaram a levantar, e minha mãe dizendo “aqui é tão cinza que nem parece que a gente já pousou!”, e eu tentando entender o que estava acontecendo.
Pisando em solo londrino!
          Enfim, Londres. Depois de cinco anos sonhando com essa cidade, eu estava lá. Mal dava pra acreditar. Passamos pela imigração que foi SUPER tranquila, pegamos a mala e saímos. 
Estava frio, mas bem menos que eu imaginava por ser inverno. Desembarcamos no terminal 5, meu pai no 1. Pra ir de um pro outro tivemos que pegar um trem. Sim, um trem. Chegamos lá, encontramos meu pai (por sorte, pois estávamos incomunicáveis até eu comprar um chip de lá) e pegamos um trem (caríssimo, diga-se de passagem) para a estação de Paddington. Lá, pegamos um táxi pro apartamento que tínhamos alugado, e logo no táxi já passamos pelo nosso primeiro (e único, felizmente) perrengue com o sotaque britânico. O nome da nossa rua era Waldemar, e a gente descobriu que não sabia falar o nome direito e tivemos que escrever pro taxista entender. O clássico “entendeu ou quer que eu desenhe?” colocado em prática pela primeira vez na minha vida.

          Chegamos no apartamento, largamos as malas, fomos no mercado e saímos pra jantar num restaurante super fofo que tinha perto do apartamento. E a comida não podia ser outra: FISH AND CHIPS! Pra quem não sabem, fish and chips é um clássico de Londres. Tem em praticamente todos os restaurantes e essa não foi a única vez que comemos enquanto estávamos lá. Depois do jantar voltamos pra casa e fomos dormir, estávamos mortas da viagem.
Fish and chips
          No dia seguinte acordamos cedo, tomamos café e saímos de casa. Compramos o passe de uma semana do metrô (que valeu muito a pena MESMO) e finalmente conhecemos o famoso Underground londrino. Eu estava me sentindo em casa, fui guiando todo mundo com uma facilidade que nem eu esperava ter. Acho que vivi em Londres em outra vida (aham, Agnes. Senta lá). Não tínhamos muito bem um plano do que fazer nesse dia, então saltamos na estação de Victoria que é bem central e fomos andando pro Buckingham Palace. Eu não consigo nem escrever isso sem que meus olhos encham d’água. O palácio é lindo demais. Parece um sonho. Não tem como descrever, de verdade. Até os portões são de dar vontade de chorar. É tudo muito incrível.
Duck Face na frente do Buckingham Palace. Desculpa, rainha!
Jardins na frente do Buckingham Palace
St James Park
          Do Buckingham Palace fomos andando pela The Mall. Passamos pelo St James Park (que é lindo demais e tem muitos, MUITOS esquilos) e seguimos até o final da rua, onde tem a Trafalgar Square. Era dia da mulher, e tinha um protesto contra a agressão doméstica na praça. Tudo muito organizado e muita coisa acontecendo ao mesmo tempo. Além do protesto, tinham vários artistas de rua tocando, se apresentando, tinham até aquelas estátuas que tem aqui no centro do Rio. Fomos num centro de turismo que tinha perto da praça e compramos um passeio pra Stonehenge, Bath e Windsor e o passeio pros estúdios do Harry Potter. Almoçamos e fomos andando…………. PRO BIG BEN. Não tem palavras pra descrever a arquitetura desse prédio. Eu poderia ficar horas e horas só parada observando cada detalhezinho, e tenho certeza que a cada minuto eu ia perceber um detalhe novo. É de tirar o fôlego. E olhando pro outro lado do Tâmisa……… A LONDON EYE. Não tem o que falar, de verdade. Foi emoção demais pra mim, e eu não estou fazendo drama. Eu sempre amei Londres e a Inglaterra e sempre quis visitar, mas não tinha como me preparar para aquilo. Acho que foi o melhor momento da viagem inteira. Foi quando eu me dei conta de que realmente estava lá.
London Eye ♥
          Atravessamos a ponte e compramos nossos ingressos pra andar na London Eye e pro museu de cera da Madame Tussauds. Não pegamos nada de fila e entramos na roda gigante em menos de 10 minutos. Antes de viajar, muita gente me disse que não valia a pena ir na London Eye. Que era chato. Que não tinha nada demais. E depois de ter ido eu mesma, eu me pergunto: como assim não tem nada demais?! É maravilhoso. Eu entrei na hora certa, vi o anoitecer lá de cima. Infelizmente estava nublado, mas eu tenho certeza que seria um pôr do sol maravilhoso se não estivesse. Ver a cidade se iluminando… Indescritível. Se alguém algum dia falar pra vocês que não vale a pena subir a London Eye, deixa sair pelo outro ouvido, sério. Conselho de amiga!
Vista do Big Ben de cima da London Eye ♥
          No dia seguinte passamos o dia em Camden e foi sinceramente a minha parte favorita da cidade. Camden era onde a Amy Winehouse morava, e é como se fosse um centro de cultura alternativa. Tem muita gente doida, mas é isso que eu gosto. Gosto de ver diversidade, saber que tem lugar por aí que você pode usar e fazer o que quiser sem que as pessoas te olhem torto. Tinha uma banda tocando lá na rua também, a Shoshin. Eu comprei um CD deles e trouxe pra cá. O som deles é bem legal e diferente, segundo eles mesmos uma mistura de Rock e Reggae. Quem quiser ouvir, a página deles no facebook é essa aqui. Lá tem um tipo de feirinha, algumas lojinhas, muita coisa baratinha e legal, fiz a festa. Tem uma parte que é só de comida e tem comida de tudo quanto é canto do mundo. Tem até uma barraquinha brasileira que vende brigadeiro, pão de queijo etc. Tem uma bancada enorme em volta dessa feira para as pessoas sentarem, e as cadeiras são como se fossem lambretas. É muito, muito legal. Vale muito a pena visitar.

Shoshin
Vista da minha lambreta hahaha
          O dia seguinte foi no mínimo tenso. Era o dia do passeio pra Stonehenge, Bath e Windsor. Saímos de casa bem cedinho e fomos para a estação de ônibus onde íamos encontrar o grupo e sair com destino a Windsor. Até aí tudo bem, tirando o frio desgraçado que me fez sair de casa com nada mais nada menos que QUATRO calças (uma delas de lã). O ônibus saiu no horário esperado e pegamos a estrada. O guia falava demais, comentava as placas de trânsito e até a cor da grama. Insuportável. Mas ok, chegamos a Windsor e o guia nos levou até a entrada do castelo que iríamos visitar. Que cidade fofa! Sem falar que estava tendo um passeio de alguma escola e tinham milhares de criancinhas lindas e branquelas com a bochecha rosa e estava NEVANDO! Sim, nevando! Tudo lindo demais, mas muito, MUITO frio mesmo. A sensação térmica era de 6 graus NEGATIVOS. Até entrarmos no castelo foi uma tortura. O rosto ardia, a boca parecia que ia rasgar a qualquer momento. Quem tirasse a luva perdia a sensibilidade da mão até botar de novo. Desesperador. Mas quando finalmente entramos no castelo tudo isso valeu a pena. Sabe quando você sabe que vai guardar fotografias mentais de um lugar pra sempre? Então. Era tudo tão lindo que eu comecei a chorar. De verdade. Foi uma experiência sem palavras. Infelizmente não podia tirar foto lá de dentro, mas eu sei que cada cômodo que eu vi daquele castelo vai ficar guardado na minha memória pra sempre.
Windsor Castle

Neve!!! ♥ 

          De Windsor fomos para Stonehenge. No caminho, campos verdes com ovelhinhas lindas, coisa bem típica do Reino Unido. Uma graça! Quando chegamos em Stonehenge eu fiquei maravilhada, porque nunca na minha vida eu imaginei que fosse ver aquilo pessoalmente. Maravilhada só até sair do ônibus. Pra quem não sabe, Stonehenge fica no meio do nada. Um campo aberto só com mato em volta. Não sei se vocês conseguem imaginar o vento cortante que tem naquele lugar. A sensação térmica a essa altura era de 10 graus negativos, num vento de rachar. E a visita era uma volta completa em volta do círculo. No frio congelante. Não consegui nem tirar foto minha de tanto desespero. Chegamos num ponto de ter que andar de costas pro vento pra não congelar o rosto. Queria ter aproveitado mais o fato de estar num lugar desses mas não tinha como. Juro. Desculpa, sociedade. Compramos um chocolate quente antes que fosse tarde e voltamos correndo pro ônibus.
Stonehenge e 10 graus negativos
          De lá seguimos pra Bath, que é a cidade mais fofa que eu vi enquanto estive na Europa. Tudo liiiindo de morrer, parecia uma cidadezinha antiga. Em Bath, visitamos a casa de banho romana, onde tem as águas termais. Parece bastante com o Parque Lage que tem aqui no Rio, na verdade, só que tem vários artefatos encontrados em escavações. Muito interessante de visitar também. E lá eu encontrei o café mais fofo da Inglaterra! O Mad Hatter’s tea party! Era um café baseado na festa do chá do Chapeleiro Maluco lá do País das Maravilhas. Muito fofo mesmo, além de ter a melhor torta de limão do mundo! Depois voltamos pra Londres, ainda debaixo de neve.
Mad hatter’s tea party! ♥
Bath
          No dia seguinte, nós iríamos pra Paris. Isso mesmo, iríamos. Nevou como não nevava há 20 anos (segundo o funcionário da eurostar) e a ferrovia tinha fechado. Então estávamos na estação de trem com malas, sem planos e com uma passagem pra trocar. Passamos na estação de King’s Cross (a estação do Harry Potter) pra tirar foto na estação 9 ¾ (pra quem não sabe, ela existe!) e fomos pra Oxford Street comprar algumas coisas e almoçar. Depois disso tivemos que voltar na estação e trocar a passagem. A estação não era climatizada, então estava muito frio lá dentro. Tivemos que ficar quase uma hora em pé no frio, numa fila que parecia não ter fim até que conseguimos trocar a passagem, já de noite. Praticamente um dia perdido graças à neve.
Plataforma 9 3/4  ♥
          Ufa, a primeira parte termina por aqui. Desculpem pelo post gigante. Se você leu tudo até o final, parabéns! Quem quiser saber sobre o resto da viagem, fica ligado aqui no blog e lá na página do facebook pra saber quando a segunda parte sair!


Um comentário sobre “Minhas aventuras na terra da rainha! – Parte 1

  1. Que lugar MA-RA-VI-LHO-SO, amei as fotos, tudo me deixou com mais vontade ainda de visitar! (Ruim deve ser voltar pra casa, né?!)<3 Enfim, tenho uma dúvida mas nem é da viagem em si. Queria saber, se possível, se você precisou tirar algum tipo de visto pra entrar no país ou se só o passaporte mesmo já serve.

  2. Nossa, bota ruim nisso! Queria poder ficar lá pra sempre! hahaha Então, não precisa tirar visto antes. O visto pra entrar em Londres você recebe (ou não) quando chega lá, na imigração no aeroporto mesmo. Sinceramente, eu acho pior assim, porque corre o risco de você chegar lá com tudo pronto, passagens compradas, apartamento alugado, passagens pra outros países etc e ter que voltar antes mesmo de chegar. Mas pelo menos comigo a imigração foi MUITO tranquila, graças a Deus. Beijos ♥

  3. Amei as fotos, deu até invejinha branca porque eu sou apaixonada pelo sotaque britânico então ia adorar ficar um tempo lá ouvindo as pessoas falarem kk Bjos atravesdosespelhos.wordpress.com

  4. Olhei rápido e pensei que o post estaria grande demais, que iria encher o saco…mas a leitura foi agradabilíssima e vc é uma linda, mor. (sabe que eu suspeito que a minha review tbm está desse jeito? rs)

    Na próxima ida a Londres que vc fizer pretendo estar te acompanhando!

    bjs!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *